Paraíba de encantos: Assando castanhas; cidade se destaca pela produção da castanha

Por:

Castanha assada a lenha na natureza (Foto: Sertão Encantado).

A castanha é o fruto do cajuzeiro, apesar de comermos também o caju. A castanha é muito saborosa e aliada da saúde. A castanha possui 9% da recomendação diária de magnésio para os adultos, um mineral essencial para o bom funcionamento do corpo humano.

Para assar castanhas, é necessário quatros pedras, do mesmo tamanho, para serem perfiladas duas na frente e duas a trás, e com isso for uma trempi, que é uma forma de fogão, após fazer a trempi. É necessário ter à lenha, de preferência lenha de angico, que queima por mais tempo, e faz pouca fumaça, e depois colocar a lenha dentro da trempi, fazer o fogo.

Após o fogo pronto, pegar o frande, que é uma caixa quadrada, feita de lata de ferro, e cheia de furos como uma peneira, então é só colocar as castanhas tiradas do caju, no frande e assar, o furo do frande serve, para que a castanha crua tenha um contato direto com o fogo. Pois a castanha, em contato direto com o fogo, a castanha crua solta um óleo inflamável, e com isso as castanhas pegam fogo

E quando a castanha tiver, pegando fogo, a pessoa que tiver assando tem que mexer, com um pedaço de madeira, para que as castanhas, não assem de um lado só, e também tem que ficar atento, para que as castanhas não queimem, pois quando as castanhas estiverem douradas, já estão no ponto para serem tiradas. Para tirar as castanhas do frande, quando tiverem assadas é muito simples, é só pegar a mesma madeira, que está sendo usada para mexer, e virar o frande na areia, e para apagar o fogo das castanhas, é só jogar areia por cima.

Após assar a castanha, vem o processo de quebrar a castanha, para quebrar a castanha é necessário: duas pedras pequenas, uma servira de apoio para a castanha, e a outra pedra, servira para a pessoa que tiver quebrando a castanha, bata na castanha que estará apoiada, na outra pedra até que a castanha quebre. Após quebrar a castanha é só retirar, o miolo, pois só o miolo é que serve para o consumo, e depois de fazer tudo isso, as mãos de quem tiver quebrando a castanha ficara toda preta, e essa sujeira preta é muito difícil de retirar, das mãos, mas para retirar essa sujeira, é só passar o caju nas mãos que a sujeira sai.

Depois de fazer todos esses processos, de assar e quebrar a castanha, vem o melhor, que é saborear, a verdadeira castanha de caju do Nordeste. Hum delícia!

Cajueiro, êê, cajueiro ê-á
Cajueiro pequenino
Todo enfeitado de flor
Eu tambem sou pequenino
Carregadinho de amor.

Tradicional cajueiro
Dos meus avós traz lembranç;a
Testemunha evocativa
Dos meus tempos de criança.

O cajueiro não dá coco
Coqueiro não dá limão
O amor quando é de gosto
Não produz ingratidão

Composição: Jackson Do Pandeiro / Raimundo Baima

Na Paraíba

Igreja Matriz Nossa Senhora da Conceição em Jacaraú. (Foto: Ary Mendonça).

Conhecida como a princesinha do Vale, Jacaraú se destaca pela produção de castanha de caju. Esta é uma tradição e fonte de renda para mais de 100 famílias. Por lá, há também a produção de outros frutos, como mamão e a manga. Outro destaque econômico da cidade é a criação de aves, além do comércio local que movimenta a economia do município.

Com uma população de 13.942 habitantes, Jacaraú está localizada na mesorregião da mata paraibana, na microrregião do litoral norte. A 96 km da capital paraibana, o município ocupa um espaço territorial de 253.009 km²

Por Ismênia Salviano
Radar Sertanejo

Notícias relacionadas:

Política
Concurso Público
Paraíba