A volta da Covid-19

Francisco Inacio Pita — Colunista

A esperança de tranquilidade e o fim da pandemia imaginada pela maioria da população mundial, que contava com o fim total em 2022, está descartada essa vitória agora e Deus queira que eu esteja errado, mas vamos ter que conviver com essa praga por algum tempo. O assunto já assombra as autoridades da saúde brasileira como: as secretarias de estados da saúde, secretarias municipais de saúde, Organização Mundial de Saúde e outros órgãos que estão diretamente envolvidos na saúde do Brasil e do mundo. Já morreram muita gente, médicos de renomes, enfermeiros e enfermeiras, diretores de hospitais, políticos, comerciantes, profissionais liberais diversos e principalmente os profissionais da saúde que viveram e vivem trabalhando diretamente com os infectados. Esses sim merecem o nosso reconhecimento, que pena que as autoridades pagadoras dos seus trabalhos pouco reconhecem os seus esforços e interesse para salvar vidas.

- PUBLICIDADE -

Todos sabem, até os menos informados, que o governo federal, apesar de ter feito vários pronunciamentos, entre eles, contra as informações da OMS, as regras de prevenção, foi contra a vacina por muito tempo e até atrasou a compra, criou piadas e mais piadas com a pandemia, até hoje não usa máscara e nem tomou vacina, mesmo assim, enviou muito dinheiro para os governadores e prefeitos, onde muitos desses gestores usaram o dinheiro para outras finalidades diferentes da pandemia. Estou falando com base em várias denúncias no ministério público e outros órgãos fiscalizados que já identificaram desvios absurdos na aplicação dos recursos direcionados apenas para a pandemia.

Faltou e falta até hoje a ampliação dos hospitais, aumentar os leitos de UTI, e outros itens hospitalares como: exames laboratoriais dentro do próprio hospital, exames de imagens como: raios-X, ressonâncias e tomografias. A maior vergonha é ver na maioria dos hospitais públicos esses serviços sendo terceirizados para favorecer aliados políticos que montam os laboratórios, exatamente para ganhar as licitações, que muitas vezes são feitas de formas irregulares, a prova é que tem várias denúncias de muitas licitações fraudulentas em diversos setores do serviço público, e na saúde também não é diferente.

Porque será que a pandemia voltou? Será que foi a abertura das festas de final de ano? Perguntar não ofende e eu acrescento: perguntar não ofende desde de que a pergunta não atinja a dignidade pessoal do indagada. A liberação foi feita com regras de prevenção, mas infelizmente a vigilância sanitária, o ministério público e outros órgãos fiscalizadores, não deram conta da demanda e o povo soltou a franga sem imaginar que a pandemia poderia voltar com todo gás. Na minha forma de pensar, o que está segurando o não aparecimento de muitos óbitos como antes da vacina, é exatamente a vacina que está surtindo efeito. Todos sabem que a vacina não tem 100 % de eficiência, não evita contrair a covid 19, mas evita a morte de muita gente, a maioria das pessoas vacinadas e que testaram positivo para a covid 19, tem sofrido apenas sintomas leves. O medo está grande, muitos já se arrependeram por ter soltado a franga antes do tempo.

Uma sugestão apenas e talvez fosse bom suspender por 30 dias todos os eventos, bares funcionassem com todo rigor, principalmente com álcool gel ou 70 % nas mesas, não desprezar o uso de máscara e afastar da boca apenas na hora de consumir a bebida e sem deixar de obedecer a distanciamento social. Outra ideia é que os bares funcionem apenas para entregar. Vocês que gostam de beber, principalmente aqueles que não podem passar 30 dias sem consumir bebidas, compre a bebida no bar, para o dono do estabelecimento poder fazer sua feira, pague a bebida e pequena taxa de entrega, ou o próprio dono bar poderia mandar fazer a entrega em sua residência, mas fosse beber em casa sem aglomerações de outras pessoas. O comércio não pode parar, mas tem que ter regras, controle do número de pessoas no recinto, na entrada, disponibilizar algum para verificar a temperatura de quem está entrando no recinto e colocar álcool nas mãos. Que as pessoas só saiam na rua quando tiver uma necessidade. Infelizmente foi o desprezo das regras de prevenção que a pandemia está voltando de forma acentuada.

Por Francisco Inacio Pita