ELEIÇÃO SUPLEMENTAR

Após ter registro de candidatura a vereador negado pelo partido, Edigley de Francisquinha repudia em nota “atitude antidemocrática, rasteira e fraca” do MDB de Monte Horebe

Em nota encaminhada à imprensa, nesta terça-feira (22), o ex-vereador Edigley de Francisquinda repudiou o que chamou de “atitude antidemocrática, rasteira, fraca e ingrata do MDB”, partido ao qual é filiado, e que lhe negou registro de candidatura para disputar o cargo de vereador nas eleições suplementares proporcionais do próximo dia 11 de dezembro.

- PUBLICIDADE -

Mesmo sendo um dos melhores nomes do quadro da sigla partidária, por ter sido o vereador mais votado em 2016, ficando ainda na segunda colocação em 2020, e ter feito uma atuação exitosa, Edigley explica que foi surpreendido na hora de registrar a sua candidatura.

“Decisão essa de cunho antidemocrático, autoritário e individualista, que boicota o meu direito de ser candidato e votado, retirando a supremacia da vontade do povo de escolher os seus representantes”, diz o filiado em um trecho da nota.

Ele ratifica ainda que sempre foi fiel às suas convicções, votando em candidato do partido nas eleições gerais, sem dar motivos partidários para ter a sua candidatura negada. E encera a nota dizendo: “Um abraço Monte Horebe, até 2024, porque o que Deus promete, ele cumpre e o que é para ser seu, homem nenhum lhe tira”.

Confira a nota abaixo:

Radar Sertanejo

1 Comment

  1. Edgley conheço a sua história política, desde quando você era cabo eleitoral do partido, sempre foi guerreiro e esteve ao lado da sigla defendendo as ideias e as proposições apresentadas. É inegável o seu compromisso em está sempre presente ajudando o seu partido, não conheço os atuais motivos que resultou na recusa da sua candidatura, independente do que tenha sido você precisa seguir firme na sua trajetória, Deus está contigo procure ser independente na política, forme seu grupo político, novos desafios surgirão, 2024 está bem próximo e o tempo se encarrega de tudo.

Deixe uma resposta