As eleições e o mundo quase dominado por um vírus

Francisco Inacio Pita | Colunista

Ano 2020, o aparecimento de um vírus maldito vitimando muita gente em todo universo, deixando os cientistas, os médicos, os estudiosos e grandes pesquisadores do mundo inteiro a procurar de uma solução e sentindo dificuldades e descobrir a cora definitiva, a população em geral e a boa parte da imprensa esqueceram as queimadas da Amazônia, as manchas de óleo no mar, o assassinato da vereadora Marielle no Rio de Janeiro, a dengue, a chikungunya e Zica, já os pré-candidatos não esqueceram as eleições. Uma pequena parte dos pré-candidatos está pensando em servir ao povo e a grande maioria pensa em se dar bem e está de olho apenas no fundo partidário. Existe a previsão de mudança das eleições para Novembro, Dezembro, início do próximo ano ou o adiamento geral para 2022. Quem está administrando quer a mudança das eleições gerais para 2022, principalmente aqueles que estão no segundo mandato ou aqueles que podem concorrer, mas devido ao péssimo trabalho em favor do povo, tem dúvida se vai ser eleito ou não, quer ganhar sem trabalho mais dois de mamata.

Na esperança de ter eleições ainda este ano, muitas pré-candidaturas estão de olho no fundo partidário, financiado com o dinheiro do povo, criado pelos políticos que se dizem nossos representantes, esse fundo é considerado um grande absurdo pela maioria da população, mas os políticos não estão nem ai para a opinião do povo, com esse dinheiro que pertence mais ao povo do que aos concorrentes nas eleições, podia ser investido nos atuais hospitais, nas construções de novos hospitais para dar assistência de qualidade e está prevenido para o futuro, caso venha outra pandemia igual a essa do coronavírus, construir mais escolas e outros benefícios direcionados ao povão. Qual o objetivo do fundo partidário? Perguntar não ofende desde que a pergunta não atinja a dignidade pessoal do indagado, os concorrentes vão conseguir recursos fáceis e com base na lei criada por eles, de posse desse dinheiro vão mudar a consciência dos eleitores mais humildes no período de campanha eleitoral, se alguém achou ruim, mas é assim que penso, muitos concorrentes dizem: “vou entrar na disputa para ajudar o povo”, eu fico com dúvida, com base no comportamento de vários correntes que inclusive já administraram ou estão administrando, sabemos muito bem que tipo de povo eles pretendem ajudar. Não me refiro apenas a São Jose de Piranhas, em quase todas as cidades brasileiras, aparecem neste período os salvadores do povo, com boas conversas, planos excelentes para o desenvolvimento da sua comunidade, na verdade pode observar que eles só aparecem de dois em dois anos, uma vez para pedir voto para si e outra vez vem pedir votos para seus candidatos, muitos deles recebem uma alta grana para apoiar os candidatos a deputado e senador e dar apenas uma migalha ao povo sofrido e mal assistido por eles na sua administração.

Mesmo sem a definição das eleições para este ano ou a confirmação para 2022, já estão aparecem os salvadores do povo, como sempre não muda nada em todas as campanhas, começaram os trabalhos de formação das chapas para prefeitos e vereadores de forma indefinida, porque muita coisa pode mudar, vêm os acordos, as desistências misteriosas, conversas fiadas, somente Deus sabe o que verdadeiramente vai acontecer, eu também sei mais não digo. A cidade de São José de Piranhas, pelo que se sabe, têm quatro pré-candidatos a prefeitos e vários pré-candidatos a vereadores. Concorre a reeleição o atual prefeito Chico Mendes, e vão também participar a preço de hoje, 21 de abril de 2020, rumo à prefeitura piranhense Ana Cleide Penaforte, o ex-prefeito Neto Lacerda e o professor e ex-vereador Clovis Barbosa.

Agora é a vez do povo que terá o direito por lei, escolher quem achar melhor para governar a seu município, se o concorrente já administrou ou está administrando, você deve observar se ele trabalhou e atendeu de forma geral os anseios da população, tenha apenas o cuidado com conversas bonitas, todos os concorrentes têm bons planos, também não esqueça que é muito diferente o que diz um político na campanha e o que ele faz durante sua administração. O candidato que promete emprego se for eleito, tenha cuidado por que depois de assumir o poder ele muda de carro, coloca um para-brisa escuro e desaparece do meio do povo. Só para lembrar, desaparecer do meio do povo após tomar posse do poder é coisa do Brasil, quase todos os prefeitos quando começam à administrar tomam outro rumo, e principalmente nas cidades pequenas onde parte da população pede muito e até acha que o prefeito tem a obrigação de pagar contas de água e luz, abastecer carros de particulares e outras ajudas paliativas.

O povo precisa se reunir e criar associações comunitárias além de cobrar dos administradores benefícios como: farmácia básica com todos os medicamentos e distribuição gratuita, assistência médica de qualidade, ter hospitais de qualidade e equipados com ultrassom, ressonância magnética, raios-X, exames laboratoriais, médicos especialistas gratuitamente, assistência ao agricultor e outros benefícios que o povo precisa e o governo pode oferecer, ainda deve cobrar escolas de qualidades com bons profissionais e aparatos didáticos modernos e atualizados e outros projetos afim.

Aqui dou uma sugestão, senhores legisladores e administradores, criem projetos para atender aos menores de rua, evitando que os mesmos sejam atraídos para o mundo das drogas, combata com projetos didáticos e assistenciais a prostituição de adolescentes, faça projetos educativos com incentivos financeiros para quem quiser aprender música, dança e praticar esportes, se vocês valorizarem os jovens e adolescentes dando várias oportunidades, o seu comportamento muda e toda a sociedade ganhará. São projetos como esses que poderão mudar em um futuro breve a vida de muitos jovens e adolescentes que estão na rua sem oportunidades, projetos dessa forma e bem administrado, evita que boa parte dos jovens e adolescentes seja transformado em um futuro traficante. A diminuição do consumo e o tráfego de drogas ilícitas acontecerão com uma ação de prevenção, e nunca no combate e enfrentamento, é necessária enfrentar os atuais traficantes para inibi-los, mas devido às leis vigentes em nosso país com punições leves, dificilmente os envolvidos do presente se recupera totalmente.

Finalizando o meu ponto de vista, afirmando que a responsabilidade de escolha de bons administradores para os próximos quatro anos é inteiramente nossa. Os eleitores de forma geral correspondem à maioria dos votos, e o voto do rico e do pobre tem o mesmo peso no somatório final, se o eleitor votar errado o prejuízo é para toda população. Peça a Deus sabedoria na hora da escolha e uma boa sorte.

Por Francisco Inacio Pita

Francisco Inacio Pita

Francisco Inacio Pita

 

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor aposentado por tempo de serviço em sala de aula, escritor dos livros CONCEITOS E SUGESTÕES PARA VIVER BEM O MATRIMÔNIO, AS DROGAS E A RETA FINAL DA VIDA E VARIAÇÕES POÉTICAS e tem outros livros em andamentos, mora atualmente na cidade de São José de Piranhas – PB. Produz e apresenta todos os sábados o Jornal Terra News pela Rádio Terra Nova FM, 88.7 MHz.

pittadoradio@gmail.com