Caixas vazios ameaçam pagamento do 13º de prefeituras da microrregião

Por:

O pagamento do 13º salário para servidores de,  pelo menos,  80%  das  prefeituras  da microrregião do Alto Piranhas está ameaçado.  Sem dinheiro em caixa  e com previsão nada positiva até o fim do ano , muitos prefeitos e prefeitas  temem não ter recurso suficiente para quitar o abono natalino do funcionalismo. A luz no fim do túnel para vários deles é o repasse pelo governo federal, em 10 de dezembro, de uma parcela extra equivalente a 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) – conforme determina a Emenda Constitucional 55, promulgada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) há três anos.

Aruinados
Dos municípios mais carentes do Alto Piranhas, ao menos 80% enfrentarão dificuldades para pagar o 13º, de acordo com estimativa da CNM,  o  FPM tem um valor muito aquém do que precisa.  Para a entidade vai ser muito difícil  esses municípios pagarem o 13° até o dia 20 de dezembro.

Velho problema
Não é de hoje que os prefeitos reclamam para pagar o 13º salário. No entanto, segundo o presidente da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), Paulo Ziulkoski, a cada ano, mais cidades estão conseguindo quitar em dia o benefício natalino. A meta, é zerar a inadimplência. Além de os servidores representarem a maior parcela da população assalariada em grande parte das cidades, a Lei de Responsabilidade Fiscal pune aqueles que não arcarem com os seus compromissos financeiros.

Exemplos
Municípios como Carrapateira, Bonito de Santa Fé, Piancó, Monte Horebe, Igaracy, São João do Rio do Peixe e Cachoeira dos Índios vão ter dificuldades para pagar o abono natalino. Algumas destas prefeituras, a exemplo de Carrapateira , os salários dos servidores estão com  quatro meses de atraso, eles [os funcionários] correm sérios riscos de serem sacrificados e  passarem o Natal sem dinheiro.

Notícias relacionadas:

Cidades
Paraíba
Política