archiveArchives

Giovanny de Sousa Lima é Mestre em Educação pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB); especialista em Educação em Direitos Humanos e para os Direitos Humanos, também pela UFPB; psicólogo educacional; pedagogo; professor do Ensino Médio e do Ensino Superior em instituições da rede privada de João Pessoa, nas últimas três décadas; e ex-professor da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB).Também é escritor e radialista.

Ser (tão) sertanejo

Ser (tão) sertanejo Giovanny de Sousa Lima Ser tão sertões O Sertão está em toda parte É múltiplo Invisível O Sertão pula de nós E vai parar nos outros O...

Feminicídio: a tragédia brasileira

A banalização da barbárie numa sociedade doente “Educação não transforma o mundo. Educação muda as pessoas. Pessoas transformam o mundo.” (Paulo Freire) O colonialismo que permeou a História do Brasil,...

Lazer, cidadania e qualidade de vida

O lazer é um conjunto de ocupações as quais o indivíduo pode entregar-se de livre vontade, seja para repousar, seja para divertir-se, recrear-se ou, ainda para desenvolver sua informação ou...

SUS (Sistema Unificado de Saúde) 30 ANOS: conquista da nação brasileira

O que diz a Constituição da República Federativa do Brasil sobe SUS: Art. 196. A saúde é direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação. Art. 197. São de relevância pública as ações e serviços de saúde, cabendo ao Poder Público dispor, nos termos da lei, sobre sua regulamentação, fiscalização e controle, devendo sua execução ser feita...

Prática televisiva e alienação no Brasil

Mestre em Educação, pedagogo e professor, Giovanny de Sousa (Colunista) Já fui soldado/ já fui de chumbo/ Já fui casado/com a Miss Mundo/que amava o super-herói/Já fui ferido/pelo bandido/Sorte que...

Breves reflexões sobre a imprescindível Cultura de Paz

A Assembleia Geral das Nações Unidas proclamou, em 1997, o ano de 2000 como o Ano Internacional da Cultura de Paz. Em 1998, declarou o período de 2001 a 2010 a “Década Internacional da Cultura de Paz e Não-Violência para as Crianças do Mundo”. Não se pode deixar passar em branco este incentivo para a paz. Antes, tem-se que apropriar deste período para disseminar, com determinação, empenho e muita esperança. A Cultura de Paz na nossa sociedade precisa ser sustentável em todos os sentidos, especialmente com relação às nossas crianças....
1 2 3
Page 2 of 3