Rio Piranhas pede socorro urgente

O nosso alerta vai para os senhores políticos, administradores e povo em geral que também pode se manifestar e cobrar a quem de direito nas regiões de Sousa e Cajazeiras. Veja minha gente o grande problema, talvez esquecido por muitas autoridades, mas que merece toda a atenção. A rede de esgoto gerada na cidade de São José de Piranhas está sendo lançada atualmente nas águas do Rio Piranhas, não está afetando totalmente a cidade de São José de Piranhas, mas de forma indireta parte da área urbana vem sendo afetada, principalmente as residências próximas do riacho da CAGEPA. Esse afluente do Rio Piranhas é atualmente o maior receptor da rede de esgotos da cidade. Podemos observar que em algumas áreas, as residências ficam a menos de 40 metros da margem do Riacho, o mau cheiro apresentado é desagradável e prejudicam as famílias que residem às margens do Riacho da CAGEPA, como exemplo, o lar dos idosos que fica a aproximadamente 50 metros da borda do Riacho.

Temos que lembrar que os detritos dos esgotos passam em correntezas misturados com água, prossegue até o Rio Piranhas e se lança nas águas do açude de Boqueirão. Durante o período chuvoso, momento em que o rio está em correnteza, estes detritos poluídos se misturam com a água e caem direto no açude de Boqueirão. As últimas observações de analistas ambientais, concluíram que o açude de Boqueirão corre um grande risco de contaminação, e poderá ser atingido totalmente em poucos anos.

A rede de esgoto de uma cidade afeta sempre os vizinhos de baixo, mas no caso de São José de Piranhas a coisa muda, está prejudicando os ribeirinhos do rio Piranhas, e em um futuro breve o açude de Boqueirão, onde 75 % de suas águas, detentora de grande serventia ficam no município de São José de Piranhas. Se aumentar a contaminação no Açude, as cidades de Cajazeiras, Marizópolis, Sousa e sues distritos serão afetadas diretamente, por que atualmente recebem todo o consumo de água do açude de Boqueirão.

Alguns anos a traz foi liberada uma verba superior a 8 milhões de reais para a construção do esgotamento sanitário de São Jose de Piranhas, a obra foi iniciada e feita aproximadamente 50 %, a firma que estava executando os serviços foi embora e até nunca mais. Com a conclusão desta obra, teremos a solução definitiva do problema. O prefeito Chico Mendes e outros representantes estão na luta para a conclusão do esgotamento sanitário de nossa cidade. Sabe em 2018, houve uma licitação para a continuação da obra, mas até o momento não tivemos o ar da graça de vê-la iniciada. É claro, se em pleno final de 2019 ainda não foi iniciada, o retorna das obras para finalizar o esgotamento sanitário de São Jose de Piranhas, está embaraçado. Com essa obra concluída e seguindo os tramites de manutenção da lagoa de estabilização que será construída no final da tubulação, chega-se a solução e salvação do Rio Piranhas e do açude de Boqueirão. Esperamos que quem de direito conclua esta obra tão importante para a nossa região sertaneja.

Temos que lembrar aqui que os investimentos em tratamento de esgoto e preservação da água têm um alto valor, mas não podemos deixar de lembrar também que um grande manancial de água como o açude de Boqueirão posse a ser contaminado por falta de atenção e cuidado dos nossos representantes. Tal montante de dinheiro para a construção de um sistema de proteção na cidade de São José de Piranhas, ponto inicial do problema, seria a maior solução.

Como aumento da população urbana na cidade de São José de Piranhas, consequentemente aumentou o número de residências e redes de esgotos domésticos na cidade. Não sei se essa é uma preocupação dos nossos representantes, mas é uma preocupação dos que lidam com o meio ambiente em nossa região, e principal os problemas ecológicos que os nossos Rios enfrentam. Esgoto doméstico causa a morte ou polui totalmente os Rios. O crescimento da população humana e sua concentração nas cidades geram graves impactos ambientais, e principalmente onde os administradores não tomam as providencias e prevenções. As prefeituras precisam se prevenir para enfrentar tais situações. Um dos maiores problemas consiste na construção de residências e o aumenta a quantidade de esgoto doméstico, rico em matéria orgânica que são lançadas nos rios, provoca a contaminação e a morte dos peixes e de outros organismos aquáticos. Vale também lembrar, o que elimina os peixes não é tanto a presença de substâncias químicas tóxicas que muitas vezes são inexistentes nos esgotos domésticos, mas a falta de oxigênio, consumido pelos microrganismos decompositores (fungos e bactérias) que se alimentam da matéria orgânica biodegradável. Esses microrganismos conseguem sobreviver no rio poluído porque necessitam de menores concentrações de oxigênio, apenas 1 mg/l ou menos, já os peixes precisam aproximadamente de 3 a 4 mg/l.

Além do esgoto doméstico, existem outras fontes de matéria orgânica poluidoras dos rios, como: matadouros, cuja seu saneamento comumente é lançado direto e em afluentes dos rios de nossa região, esgotos de hospitais, outras casas de saúde e clínicas médicas. Seu efeito pode ser agravado dado à presença de muitos produtos de natureza química usado nestes locais.

Fontes de poluição da água: A água pode conter barro, areia e outras impurezas. Um grande perigo de contaminação da água está, por exemplo, na presença de produtos químicos tóxicos, que por sinal é muito usado às margens do Rio Piranhas e açude de Boqueirão, como o famoso mata mato, usado pelos agricultores que deixaram a enxada de lado, existem ainda muitos tipos de microrganismos que tornam a água poluída. Ainda existem outras fontes de poluição, a consequência falta de tratamento de esgoto – O grande número de dejetos dos populosos núcleos residenciais, descarregado em córregos, rios provocam a poluição e a contaminação das águas. Estas contaminações podem provocar doenças como: Febre tifoide, hepatite, cólera e muitas verminoses, além de outras doenças contagiosas e prejudiciais à população, e algumas destas doenças pode provocar a morte.

Francisco Inácio de Lima Pita

Francisco Inácio de Lima Pita

Francisco Inácio de Lima Pita

 

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor aposentado por tempo de serviço em sala de aula, escritor dos livros CONCEITOS E SUGESTÕES PARA VIVER BEM O MATRIMÔNIO, AS DROGAS E A RETA FINAL DA VIDA E VARIAÇÕES POÉTICAS e tem outros livros em andamentos, mora atualmente na cidade de São José de Piranhas – PB. Produz e apresenta todos os sábados o Jornal Terra News pela Rádio Terra Nova FM, 88.7 MHz.

[email protected]