As drogas e a possibilidade de acabar no futuro

Francisco Inacio de Lima Pita | Colunista

As drogas é hoje um dos problemas mais bárbaro no universo e com destaque no Brasil, onde este projeto infernal tem ceifado a vida de gente envolvida e de outras pessoas que não tem nada haver com este meio, muitas vezes criaturas não envolvidas perdem sua vida inocentemente. Os noticiários mostram diariamente alguém que morreu de bala perdida, assaltante que de forma cruel mata a vítima somente pela maldade, são fatos noticiados em todo Brasil nos canais de rádio e televisão.

Os traficantes formam suas equipes, fornece armamento e dar todas as condições de garantias, paga bem e depois até mata se o envolvido quiser sair do grupo. O mundo dos entorpecentes é perigoso e a cada dia tem conseguido se instalar com mais firmeza e adquirir novos adeptos. O esquema dos vendedores de erva maldita é forte que o setor de inteligência da segurança pública tem certas dificuldades em desvendar pontos de tráfego de drogas. O combate depende do conjunto de autoridades como o judiciário e as policias: civil e militar. Outro ponto que tem dificultado o trabalho de combate são as leis vigentes em nosso país que facilita até certo ponto. Em muitos casos a polícia militar prende e logo na primeira audiência de custódia, o detido é liberado e vai responder em liberdade condicional. Muitos assaltantes já praticam um novo assalto no mesmo dia, ou até mesmo antes de chegar em casa.

As organizações sociais, filantrópicas, religiosas, representantes do povo entre outras, têm promovida diversas audiências públicas para encontrar soluções, mas tudo isso, não tem gerado uma saída de combate e nunca se chega a um afastamento definitivo, isso por que os traficantes são organizados e dispõem de meios informativos, como as redes sociais e até participam muitas vezes das audiências públicas, talvez tenha figurão participando das referidas audiências, para depois prevenir os seus grupas das ações e ideias das autoridades presentes.

Existem casas de recuperações, mas dado ao número muito pequeno destes ambientes, tem retirado poucas pessoas do mundo das drogas. O governo precisa tomar um posicionamento e investir em projetos que leve inicialmente a uma prevenção, acabar de repente com os grupos de traficantes existentes em nosso país é praticamente impossível. Sabemos que as autoridades estão trabalhando, mas não conseguem soluções definitivas em todos os casos. Não se tem prova, mas há indício de que alguns traficantes presos têm seus celulares às escondidas nos presídios e muitos comandam o crime organizado, faz e desfaz e ninguém controla esta situação. Não estou afirmando, mas com base em comentário nos meios sociais, esta informação tem uma grande aproximação da verdade.

Uma sugestão para os nossos representantes, tanto o legislativo como o executivo. O poder legislativo deve rever as leis e elaborar Projeto de Emenda a Constituição, PEC, que oferece mais dureza para traficantes e assaltantes e apoio as autoridades constituídas para que possam trabalhar e agir com dureza e base nas leis criadas. Os poderes executivos: federal, estadual e municipal, tem que criar projetos de prevenção, como a formação de grupos para prática de diversos esportes, estudar música, praticar danças, festivais musicais, festivais de perguntas e respostas entre alunos nas escolas com temas relevantes. Seria um investimento inicialmente nas escolas, direcionar estas práticas para estudantes com idade entre 10 e 16 anos ou até mais. A criação e o incentivo por parte dos governos seria uma forma de envolver os jovens e adolescentes em atividades culturais e esportivas como formato de prevenção para futuro.

As demandas são enormes, o cidadão de bem vive peso ou assustado, se tem um comércio está na mira dos assaltantes a qualquer momento, o brasileiro e principalmente nas cidades maiores vivem a todo instante sujeito a ser roubado ou até morto por assaltantes que não tem a menor piedade de ninguém. Vivemos em um mundo da intranquilidade, somente Deus para iluminar a mente das autoridades em geral no tocante a criar formas de combate e o convencimento dos traficantes em deixar o seu trabalho de maldade e destruição. Relembro: na forma que está somente à mão protetora do divino consegue uma rápida solução. Faltam envolvimento e fé em Deus dos envolvidos de forma geral, feri-me aos traficantes e as autoridades constituídas, principalmente os legisladores, parecem que não tem a coragem de modificar as leis, e sem isso, tudo tem a si tornar cada vez pior, quem viver muito verá.

Francisco Inacio de Lima Pita

Francisco Inácio de Lima Pita

Francisco Inácio de Lima Pita

 

Francisco Inácio de Lima Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor aposentado por tempo de serviço em sala de aula, escritor dos livros CONCEITOS E SUGESTÕES PARA VIVER BEM O MATRIMÔNIO, AS DROGAS E A RETA FINAL DA VIDA E VARIAÇÕES POÉTICAS e tem outros livros em andamentos, mora atualmente na cidade de São José de Piranhas – PB. Produz e apresenta todos os sábados o Jornal Terra News pela Rádio Terra Nova FM, 88.7 MHz.

[email protected]