A vinda das águas do São Francisco e os pontos inerentes da política piranhense

PitaaA vinda das águas do Rio São Francisco para a nossa região, como sempre tem sido um jogo de politicagem usado por vários políticos em suas campanhas desde  do início do projeto   em 2010. A cada dia que se passa a tendência é se tornar uma obra inacabada. Será um grande prejuízo para todos, mas tem pouca esperança de concluso em toda a sua totalidade, principalmente se o próximo presidente da república não for um nordestino e se não tiver uma boa representação do nordeste em Brasília.  Eu até duvido que chegue água em nossa região até Dezembro desde ano. E sabe por que, tem trecho desta obra parado desde de 2013 e agora recentemente uma das firmas do consórcio deixou a obra e puxou a carro.

Não consigo entender como os governos de Lula e Dilma investiu tanto dinheiro e não fiscalizou a altura do que mereceria. Em outra variante, já gastaram dinheiro que dava para ter concluído a obra. Parece que faltou fiscalização rigorosa na obra no governo de Lula, que apesar das faltas foi o único que teve a coragem de iniciar uma obra esperada a mais de 100 anos, mas não fiscalizou bem e a obra seguiu assim como Deus criou batata. No governo de Dilma talvez se agravou mais ainda e no governo interino de Michel Temer não prospera nenhuma e vontade de concluir a obra. Pode até ser concluída em breve, mas a possibilidade de conclusão ainda este ano é 100% duvidosa.

A obrigação de defender a conclusão do Projeto São Francisco é dos nossos representantes no Congresso Nacional e Câmara dos Deputados. Será que os senadores Cassia Cunho Lima, José Maranhão e Raimundo Lira tem se preocupado com isso?  Já fizeram pronunciamentos em favor desse projeto?

Os deputados Federais que aqui foram votados estão preocupados com este assunto? Estou apenas perguntando e perguntar não ofende desde que a pergunta não atinja a dignidade pessoal do indagado.

Com relação à política local, observamos o que já havia dito no início do ano, a previsão de três concorrentes para a disputa majoritária, mas pelo novo quadro apresentado essa semana poderá ter mais de três pré-candidatos concorrendo em São Jose de Piranhas. Vou repetir e observe a conjugação do verbo. Poderá ter mais de três pré-candidatos a prefeito em São Jose de Piranhas

Não era tão difícil observar como funcionavam as articulações políticas em nossa cidade. Houve a divulgação de vários pré-candidatos a prefeito, dando entrevista em Rádio e outros meios de divulgação, todos apresentando seu plano de governo:

José Edinando foi articulando pelas oposições e formando a sua pré-candidatura com uma melhor estrutura, conseguiu articular muito bem e formar o maior número de pré-candidatos a vereadores entre os partidos de oposições. Todos já sabem que José Edinando fez aliança com a situação representada pelo pré-candidato a prefeito Chico Mendes. Com a sua saída do grupo enfraqueceu muito a base de oposição até por que os pré-candidatos a vereadores seguiram juntos a José Edinando apoiando a pré-candidatura de situação representada por Chico Mendes e o prefeito Domingos Neto.

Clóvis Barbosa pré-candidato da oposição já marcou a sua convenção e vai disputar ao cargo de prefeito. Há muito tempo já se observava que Clóvis Barbosa era o pré-candidato mais decidido pelas oposições e que iria tocar o barco para frente sozinho.

Junior Brasileiro lançou sua pré-candidatura a prefeito logo cedo, promoveu campeonatos esportivos em algumas localidades do município e propagou a sua intensão de concorrer ao cargo de prefeito.

Dr. Edson Pereira também lançou a sua pré-candidatura a prefeito, deu entrevistas tanto no Radar em Alerta como em outros meios de comunicações, mostrando seu interesse em concorrer ao cargo de prefeito nas eleições de Outubro próximo.

Ana Cleide Penaforte lançou por último a sua pré-candidatura, formando assim cinco pré-candidatos de oposição e mostrou também a sua intenção de concorrer.

Os assessores de todos os pré-candidatos das oposições pregavam para sociedade a união do grupo, mas as informações que nos chegava ao final de cada reunião, era sempre tangenciada de que na reunião aconteceu várias discussões acirradas entre os concorrentes, nunca se chegava a uma ideia comum, por que todos desejava ser o principal concorrente. Para a sociedade dizia uma coisa, mas o que acontecia internamente era bem diferente.

Outro ponto que era discutido pela oposição piranhense, “vamos fazer uma pesquisa e escolher o primeiro colocado para concorrer a prefeito e o segundo colocado a vice e os demais trabalham unido pelo grupo”. Conclusão: parece que todos queriam fazer sua própria pesquisa, o que dar para entender, talvez um não confiasse no outro.

A maior esperança de união das oposições em São José de Piranhas, mas sem a presença de Clóvis Barbosa que já havia tomado a decisão de concorrer sozinho, foi com o lançamento da pré-candidatura de Ana Cleide, mas parece que outros pré-candidatos da oposição não concordaram e continuou sem decidir a verdadeira união. Somente se acontecer um milagre até o dia cinco de agosto poderá ser concretizado esta união em torno de um só nome pelas oposições.

Eu Francisco Inácio Pita, não acredito nesta união. Outro ponto que eu acho duvidoso e não acredito que vai concorrer a prefeito, Ana Cleide, Junior Brasileiro e Dr. Edson Pereira separadamente, apesar de todos três já terem marcado a conversão individual, no meu ponto de vista, alguém vai desistir e nem vai trabalhar firmemente para outro. Para finalizar que seja feito o melhor para o povo que apesar dos pesares ainda tem uma esperança de dias melhores. Amém.

Francisco Inácio de Lima Pita

Francisco Inácio de Lima Pita

Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor da rede estadual de ensino. Participa todos os sábados de programa informativo na Rádio Terra Nova FM, 88,7 MHz.
pita.sjp@ig.com.br