LAUDO TÉCNICO

Relatório técnico aponta falha na estrutura de concreto armado no Estádio o Cabocão, em Bernardino Batista

Imagem: reprodução

Os vereadores de Oposição de Bernardino Batista requereram um estudo técnico sobre o colapso estrutural do muro do Estádio Municipal o Cabocão localizado no Distrito de Cajazeirinhas, zona rural de Bernardino Batista.

- PUBLICIDADE -

O responsável técnico pelo Relatório Técnico Estrutural foi o Dr. Elias Agostino de Andrade, Engenheiro Civil e Pós-Graduado em Engenharia de Estruturas, inscrito no CREA-SP sob o No 5068973164.
Endereço profissional na Rua Uautás n°21, Vila Itaim, São Paulo-SP. CEP: 08190-520 Telefone: (11)958888-0292 e-mail: easuporteengenharia@gmail.com

“Na manhã do dia 02/01/2022, o muro do Estádio de Futebol “O Cabocão”, colapsou, o mesmo está localizado no Distrito Antônio Paulo, Município de Bernardino Batista – PB, diante deste cenário foram analisadas as possíveis causas que proporcionaram sua ruina. Com isso é preciso salientar dois pontos cruciais: 1o Curso d’água em períodos de chuva em direção à obra; 2o Estrutura de Concreto Armado adotada na execução da obra”, disse o engenheiro civil, Elias Agostino de Andrade.

“Curso d’água – A principio, é notado que a força da correnteza dos córregos adjacentes, em colisão direta com a estrutura, provocou o desmoronamento do muro, no entanto, em análise aos documentos contidos no processo licitatório de No 000082019, mais precisamente no anexo XVI Plantas, é possível verificar um equívoco na concepção do projeto, em não apresentar soluções para manter o curso natural da água em períodos de chuva, com isso a estrutura permaneceu à mercê da variação dos intempéries da natureza, neste caso água decorrente da chuva”, relata o engenheiro civil, Elias Agostino de Andrade.

Estrutura de Concreto Armado – A estrutura de concreto armado encontrada em meio ao entulho, na sua composição se trata de vergalhões de aço CA-50 – com diâmetro de 6,3mm. Em análise aos documentos contidos no processo licitatório de No 000082019, mais precisamente no anexo XIII Planilhas Orçamentárias, consta especificado para utilização nos pilares, aço CA-50 de 6.3mm, no item 2.3 ELEVAÇÃO/ESTRUTURA e sub item, 2.3.4. Esta informação não condis com as diretrizes da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). É de suma importância destacar que este tipo de aço contido em planilha, não é indicado para este tipo de construção, como rege a ABNT NBR 6118 – Projeto de Estruturas de Concreto – Procedimento. Segue trecho da norma:” 18.4.2 Armaduras longitudinais 18.4.2.1 Diâmetro mínimo e taxa de armadura O diâmetro das barras longitudinais não pode ser inferior a 10 mm nem superior a 1/8 da menor dimensão transversal” (ABNT NBR 6118:2014)”, esclarece o engenheiro civil Elias Agostino de Andrade.

Clique aqui e veja o relatório técnico estrutural

“Diante das inconformidades técnicas, do método construtivo, do sistema analisado, das condições de uso, de maneira global em suas condições de habitabilidade normais, e com o procedimento executado, podemos concluir que este muro deveria possuir outro tipo de estrutura, é prudente que ocorra uma rigorosa revisão de projeto, conforme preconiza os órgãos regulamentadores, conforme supracitado”, é a conclusão do Relatório Técnico Estrutural.

Veja reportagem abaixo

FONTE: ASSESSORIA DE IMPRENSA

Deixe uma resposta