Morre em Juazeiro do Norte o poeta piranhense Pedro Bandeira

Por:

Pedro Bandeira de Caldas faleceu aos 82 anos de idade.

A cultura nordestina está de luto. Morreu na tarde desta segunda-feira (24), o repentista paraibano nascido no município de São José de Piranhas, Pedro Bandeira de Caldas, aos 82 anos de idade. O “príncipe” dos poetas populares, como era conhecido, faleceu em casa, na cidade de Juazeiro do Norte, deixando esposa e duas filhas.

O repentista foi vítima de uma parada cardíaca, mas convivia com a doença de Parkinson há cerca de 20 anos e por causa disso a saúde dele já estava debilitada.

A Prefeitura de São José de Piranhas decretou luto oficial de três dias no município, em memória ao ilustre filho da terra que é o autor do Hino do Município e recebeu dezenas de diplomas, medalhas de mérito, com quase duas centenas de troféus de 1º lugar em festivais ocorrido em todo o Brasil.

Pedro Bandeira e sua História

Filho natural do Sítio Riacho da Boa Vista no município de São José de Piranhas, Pedro Bandeira iniciou o seu ofício aos 17 anos, no dia 1º de maio de 1955, sendo também um poeta de grande reconhecimento ao longo de mais de 60 anos. No ano passado recebeu a Comenda Patativa do Assaré, condecoração que é dada a personalidades, artistas, poetas, cantadores e pesquisadores que se destacaram por suas relevantes contribuições à Cultura Popular Tradicional.

Cantador profissional, cordelista e escritor, autor de mais de mil folhetos e centenas de poemas, com livros publicados e muitos LPs e CDs gravados, Pedro Bandeira é um dos artistas mais condecorados e lembrados quando se trata da cultura popular regional em todo o Nordeste, além de ser voz marcante no rádio e na TV. O poeta ainda é licenciado em Letras Clássicas pela antiga Faculdade de Filosofia do Crato, hoje Universidade Regional do Cariri (URCA), bacharel em Direito pela Faculdade de Direito do Crato, integrada a URCA, e bacharel em Teologia pela Universidade Vale do Acaraú (UVA).

Pedro Bandeira é autor de centenas de músicas, entre elas a peça “Graça Alcançada”, que veio a ser gravada por mais de 20 intérpretes e pode ser considerada o hino dos romeiros e das romarias em Juazeiro do Norte. Além de renomado expoente de uma geração de cantadores, Pedro Bandeira veio a destacar-se também na Literatura de Cordel, com mais de uma centena de títulos publicados e ilustrados pelos principais xilógrafos cearenses.Escreveu ainda 14 livros, entre eles “Matuto do Pé Rachado” e “O Sertão e a Viola”.

Radar Sertanejo

Notícias relacionadas:

Política
Policial
Cidades