Cortes de recursos do Centro Cultural do BNB por parte do Governo Bolsonaro é tema de Audiência Pública em Sousa

Por:

Centro Cultural do BNB em Sousa.

A Câmara Municipal de Sousa-PB, através do seu presidente, vereador Radamés Marques Estrela (PDI), em conjunto com os demais vereadores, convida a população e autoridades para uma Audiência Pública que será realizada no Plenário do Poder Legislativo Sousense, localizado na Rua Nabor Meira, 17, Cento de Sousa, a partir das 8h, do dia 19 de julho de 2019. Na ocasião, serão debatidas questões relacionadas ao Centro Cultural do Banco do Nordeste (CCBNB).

Os Centros Culturais Banco do Nordeste estão sendo vítima de um corte de recursos radical por parte do próprio Banco do Nordeste. Foi anunciado uma redução de 70% dos recursos mensais para este ano das verbas dos centros culturais de Fortaleza (CE), Juazeiro do Norte (CE) e Sousa (PB).

Com esse contingenciamento o dinheiro restante só dava para garantir programação até julho deste ano. Agosto já estava sem verba para custear cachês de nenhum tipo de apresentação, muito menos renovar contratos de funcionários que estariam se encerrando. Cabe destacar que o lucro do Banco do Nordeste apurado em 2018 foi de R$ 725,5 milhões, um valor 6,4% maior do que o do exercício anterior. Então, diante do aumento de lucro, não faz sentido algum os cortes nos espaços culturais.

Ao tomar conhecimento deste fato, ativistas culturais do sertão paraibano, do cariri e do litoral cearense, ao lado de membros da sociedade civil organizada, se uniram de forma suprapartidária, em defesa deste grande equipamento cultural, promovendo mobilizações tanto presenciais como nas redes sociais com a #FicaCCBNB.Diante da pressão exercida pelo movimento, o banco vem procurando ludibriar a opinião pública. Primeiro emitindo uma nota com palavras eloquentes para tentar convencer a população de que não haverá fechamento. Essa inclusive foi a estratégia utilizada pelo BNB quando fechou os Espaços Nordeste em meados de 2013 ou 2014: noticiaram que não havia perigo de fechar até que executaram o plano.

Segundo, liberando de última hora, uma ínfima quantidade de verba para dar uma esticada na programação somente até agosto. A agenda do CCBNB sempre foi organizada regularmente com dois meses de antecedência e podia ser consultada pela população na administração do centro.Em terceiro lugar, os funcionários do Centro Cultural não podem se manifestar publicamente sobre o assunto.Vão fechar os Centros Culturais do BNB na calada da noite e o cancelamento de recursos e programações é apenas um passo.

Como o CCBNB-Sousa está sendo impactado com o contingenciamento.

Dezessete ações artístico-culturais canceladas, a não elaboração de programação para agosto, demissão de dois técnicos, cinco assistentes de programação e uma bibliotecária.

A comissão de articulação política contra o fechamento do Centro Cultural é composta pelos ativistas e advogados, César Nóbrega e Chiquinho do PT, radialista Leonardo Alves, o ex-diretor do IFPB, Campus de Catolé do Rocha, poeta e professor Caetano José de Lima e o produtor cultural Sérgio Silveira. A equipe de comunicação é formada pelos jornalistas Enio Marx e Nábila Ferreira, o diagramador Gildivan Martins, o cineasta e produtor cultural Maycon Carvalho e o cientista da computação Jefferson Pires. As entidades envolvidas são Movimento Cultural de Sousa, Comitê de Energia Renovável do Semiárido, Fundação Bento Freire de Sousa, Rádio Educativa 105 FM, Fundação Municipal de Cultura, Frente Brasil Popular, Grupo Teatro Oficina, Cia Beradeiros em Cena e Acauã Produções Culturais.

#FicaCCBNB

Abdias Duque de Abrantes
Jornalista MTB-PB Nº 604

Notícias relacionadas:

Policial
Cultura
Cidades