Paraíba alcança redução de 22% no número de assassinatos registrados de janeiro a abril

Por:
Resultado de imagem para redução de assassinatos

Ao todo, são 91 casos a menos em relação ao mesmo período de 2018.

O trabalho das forças de segurança da Paraíba segue reduzindo as ocorrências de assassinatos no Estado. Os primeiros quatro meses de 2019 tiveram uma diminuição de 22% no número homicídios ocorridos em território paraibano. Com isso, o Estado continua a ser o único do Brasil a ter uma queda de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI) – homicídios dolosos ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte – durante sete anos consecutivos e ainda no 1º quadrimestre. Ao todo, são 91 casos a menos em relação ao mesmo período de 2018, quando foram contabilizados 416 crimes desse tipo.

De acordo com os dados do Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds), das 22 Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp), definidas pela Lei Complementar 111/2012, que dividiu a responsabilidade territorialmente entre as Polícias Civil, Militar e Corpo de Bombeiros Militar, 18 tiveram redução no número de assassinatos: Monteiro (-80%), Queimadas (-67%), zona leste de Campina Grande (-58%), Bayeux (-54%), Solânea (-53%), Picuí (-44%), zona sul de João Pessoa (-40%), Cabedelo (-38%), zona oeste de Campina Grande (-36%), Guarabira (-25%), Santa Rita (-24%), Cajazeiras (-22%), Itabaiana (-19%), Mamanguape (-17%), Patos (-15%), Esperança (-11%), Itaporanga (-8%) e Catolé do Rocha (-8%).

“Os resultados fazem parte de um grande esforço dos nossos policiais e bombeiros que, com muito trabalho, conseguiram manter a redução de assassinatos de forma que em nenhum desses quatro meses ultrapassamos os dois dígitos no total de ocorrências. Isso demonstra que estamos no caminho certo, e agora com uma atenção ainda maior para os Crimes Violentos Patrimoniais (CVP), pois foram criados novos indicadores e uma Força-Tarefa voltada ao enfrentamento aos crimes contra instituições financeiras”, frisa o titular da Sesds, Jean Nunes.

Redução de assassinatos de mulheres – A diminuição de homicídios na Paraíba também se repete no que se refere às mortes de mulheres. De janeiro a abril deste ano, foram contabilizados 20 casos, 44% a menos do que no 1º quadrimestre de 2018, quando aconteceram 36 ocorrências desse tipo.

Os crimes de feminicídios também tiveram redução nesse período. Entre o total de casos registrados nos quatro meses, 10 foram desse tipo de crime, representando uma queda de 41%, já que no ano anterior se contabilizou 17 feminicídios.

De acordo com o Nace, desde 2010 o Estado tem uma redução acumulada de 29% do número de assassinatos com vítimas do sexo feminino, sendo – 33% na taxa, que passou de 6,13 para 4,08 por 100 mil habitantes. Com isso, a Paraíba saiu do 4º lugar em mortes de mulheres no Brasil, segundo o Mapa da Violência 2012, para 19º no país, de acordo com o Anuário Brasileiro da Segurança Pública 2018.

Elucidações de homicídios são destaque na Paraíba – O trabalho investigativo da Polícia Civil faz com que a Paraíba atinja números positivos na elucidação de assassinatos no Estado, este ano. Dados relativos ao mês de janeiro apontam que 50% dos casos de CVLI foram elucidados e em 27% deles houve prisão dos acusados, sendo 13 por cumprimento de mandado de prisão e oito em flagrante. Os números, para os quais também contribui a Polícia Militar, nas prisões em flagrante e ações integradas, são consolidados a partir do andamento dos inquéritos policiais, com um período de pelo menos três meses para esclarecimento do caso.

Em seis Áreas Integradas de Segurança Pública houve 100% de elucidação de assassinatos no primeiro mês de 2019 e especificamente naqueles ocorridos nas regiões de Queimadas (11ª Aisp) e Cajazeiras (20ª Aisp) foi atingida também a meta de 100% de prisões dos autores dos assassinatos.

Apreensões de armas de fogo crescem 50% na PB – Neste quadrimestre, as ações de prevenção e repressão qualificadas ao porte e à posse ilegais de armas de fogo fizeram com que o total de revólveres, pistolas, espingardas, entre outros tipos de armamento, apreendidos nas cidades paraibanas, representasse 50% a mais do que a quantidade retirada de circulação de janeiro a abril de 2018. Este ano, foram apreendidas pelas forças de Segurança Pública 1.393 unidades desse tipo de material, enquanto que no 1º quadrimestre de 2018 foram recolhidas 928 armas. Isso representa uma média diária de 11,6 armas por dia retiradas das ruas.

Os números do Núcleo de Análise Criminal e Estatística apontam que todas as Regiões Integradas de Segurança Pública (Reisp), com sedes nas cidades de João Pessoa, Campina Grande e Patos, tiveram aumento nas apreensões de armas de fogo. Em todo o Estado foram 695 espingardas, 515 revólveres e 127 pistolas, além de outros tipos de armamento.

Desde a implantação do Programa Paraíba Unida pela Paz, mais de 25 mil armas de fogo foram apreendidas pelas Polícias Militar e Civil durante ações realizadas por cada uma das instituições e também durante as operações integradas no Estado.

João Pessoa e Campina Grande com menos assaltos – O trabalho dos órgãos de Segurança Pública, com a realização de abordagens a pessoas e veículos, além de operações de repressão e prevenção qualificadas, reduziu também os crimes contra o patrimônio nas duas maiores cidades do Estado, no que se refere aos roubos a pessoa, estabelecimento, residências e transportes coletivos.

Em João Pessoa houve uma queda de 34% nos registros, com 1.274 casos este ano e 1.935 no 1º quadrimestre de 2018. No município, a maior redução foi nas ocorrências envolvendo transportes coletivos, que saíram de 91 registros para 51 (-44%). Já em Campina Grande, a queda foi de 24%, com um total de 267 crimes patrimoniais de janeiro a abril de 2019 e 353 no mesmo período do ano passado. A maior diminuição está relacionada aos crimes contra estabelecimentos comerciais, com um total de 42 ocorrências em quatro meses, contra 75 até abril de 2018 (-44%).

Veículos recuperados e prisões de interesse estratégico – Um dos grandes esforços empreendidos pelos órgãos operativos de Segurança Pública está voltado para a prevenção de roubos e furtos de veículos e cargas, como também para a recuperação desses bens. Somente no 1º quadrimestre de 2019, 888 carros e motos foram recuperados no Estado. O número significa que 57% dos veículos retirados de seus proprietários foram devidamente devolvidos.

Além disso, 1.143 prisões de interesse estratégico foram realizadas pelas forças policiais neste 1º quadrimestre, sendo 544 de casos relacionados a crimes patrimoniais, o que demonstra o esforço das forças de Segurança Pública no enfrentamento a essas ocorrências. A maioria das prisões aconteceu em cumprimento a mandados de prisão (417) e por crimes contra o patrimônio, como roubos (421). As demais ações foram relativas aos crimes de assassinato, com 165 presos, e especificamente de roubos e furtos de veículos (123), entre outras. Mais de 6,5 mil prisões, em geral, foram realizadas nestes primeiros meses do ano.

Notícias relacionadas:

Cultura
Cultura
Paraíba