VÍDEO: Vereador denuncia gestão de Monte Horebe por negar transporte escolar para alunos do Estado e repudia cobrança da taxa de iluminação pública

Por:

O vereador José Nivânio Lúcio da Silva, conhecido por Torrado (PSB), procurou a redação do Radar Sertanejo, na tarde desta sexta-feira (08), para denunciar que alunos da Rede Estadual de Ensino que estudam na tradicional Escola Bonifácio Saraiva de Moura estão sendo impedidos de obter uma carteira para serem transportados nos ônibus escolares do município. Ele disse que um áudio foi gravado e circula nas redes sociais mostrando, claramente, que a gestão municipal de Monte Horebe não aceita alunos do estado que cursam até o 9º ano de andarem nos ônibus escolares, como mostra a entrevista acima.

Torrado também relatou que até as mães estão sendo ameaçadas de perderem o cadastro no programa Bolsa Família se por acaso não matricularem os filhos em uma escola da Rede Municipal. “Eu achei uma falta de consideração muito grande o aluno não ter o livre direito de escolher a escola que ele quer estudar”, lamentou o parlamentar mirim.

Ele afirmou que acompanhou um pai de aluno que foi denunciar o caso no Ministério Público, através da Promotoria de Justiça da cidade de Bonito de Santa Fé, como mostra o documento abaixo.

Taxa de Iluminação Pública – o vereador também repudiou um Projeto de Lei que foi enviado pelo prefeito, Marcos Eron Nogueira (MDB) à Câmara Municipal, o qual o vereador chamou de projeto ou “pacote da maldade” e aprovado pelos vereadores. “Apenas eu e mais dois vereadores não votamos nesse projeto”, disse. Ele foi enfático ao afirmar que Monte Horebe é um município muito pobre e a população não tem condição de pagar mais essa taxa, pois, segundo ele, a maioria das famílias vive da agricultura familiar, mesmo morando na cidade. Torrado disse que vai recorrer ao Ministério Público para reverter essa situação. “Eu fiquei indignado com esse projeto”, ressaltou.

Por fim, o vereador Torrado disse que a gestão municipal publicou um edital para a realização de um processo seletivo para o programa Criança Feliz, mas foi retirado no dia seguinte. Para o vereador, “isso pode ter ocorrido para privilegiar pessoas ligadas à gestão municipal que trabalham dentro da prefeitura”, ressaltou.

Veja a entrevista completa no vídeo acima.

Radar sertanejo

Notícias relacionadas:

Política
Paraíba
Cidades