Homem apanha de mulher com cinto e ainda acaba preso

Por:

Ele é uma das figuras mais conhecidas da região e exerce uma função importante em sua cidade, Boa Ventura: é agente comunitário de saúde, mas na noite dessa sexta-feira, 25, Cícero Darlem Araújo Caldas, de 50 anos, passou por um grande constrangimento.

O homem, que tem um metro e trinta centímetros de altura, estava em uma boate, quando tentou aproximar-se de uma mulher, mas ela recusou-o. Contrariado, Darlem tirou o cinto, mas não chegou a agredi-la; ao contrário: ela tomou o cinturão e bateu no agente comunitário.

Depois de surrá-lo, a mulher entregou o cinto à Polícia Militar e denunciou Darlem, que terminou preso. “Eu fui jogado dentro da mala do carro da polícia como se fosse um porco: fui humilhado e sofri constrangimento diante dos meus conterrâneos”, lamentou ele.

Transportado na mala da viatura por 17 quilômetros, de Boa Ventura a Itaporanga, Darlem foi deixado em uma cela da delegacia local. “Fiquei preso aqui a noite toda, e só vim beber um copo d’água hoje pela manhã”, disse ele, que assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência e foi solto, mas deixou a delegacia intimamente machucado.

O servidor público pediu que seu sentimento e sua imagem fossem publicados para mostrar a sociedade tudo o que passou e também questionar a necessidade da prisão, já que, conforme Darlem, ele não chegou a bater na mulher, nem era sua intenção, nem dispõe de condições físicas para agredir alguém. Foto: Darlem na porta da cela onde ficou preso por mais de oito horas.

Fonte: Folha do Vale

Notícias relacionadas:

Cidades
Cidades
Paraíba