Consórcio pára obra da transposição na PB e demite todos os funcionários

Por:

As empresas que formam o Consórcio Águas de São Francisco responsável pela construção do lote 7 do eixo norte da transposição do Rio São Francisco, em São José de Piranhas, resolveu parar as obras  e demitiu todos os funcionários em um único despacho nesta segunda-feira (4). O anúncio pegou todos os trabalhadores de surpresa.

O Consórcio é formado por três empresas que se uniram: Serveng, S.A Paulista e Carioca. De acordo com informações, as demissões são por que  a presidente Dilma Rousseff deixou de enviar verba para organização, faz mais de dois meses, embora o grupo continuasse tocando as obras sem a liberação do recurso do Governo Federal.   

De acordo com o que o Radar Sertanejo apurou, primeiro mandam embora o pessoal que trabalhava no britador junto com outros auxiliares. Seguraram o restante do pessoal para trabalhar no canal 1 (CN01), cuja vala já estava chegando à desembocadura do túnel Cuncas 1, que fica no lote 14 do projeto de integração do eixo norte.

Na sexta-feira (2) o engenheiro de produção, Diego, mandou recolher todas as máquinas, caminhões e equipamentos. Após o recolhimento, se reuniu com o encarregado e marcou uma integração com todos os funcionários no ginásio de esportes da cidade de São José de Piranhas, o encontro já adiantou sobre as demissões. Nessa segunda-feira, ao chegar para trabalhar, todos receberam oficialmente o comunicado de desligamento. Em seguida, eles foram chamados ao DP para assinar o aviso indenizado para receberem seus direitos.

Funcionários demitidos contaram ao Radar Sertanejo que, no momento, ficou no Consórcio apenas os servidores do departamento de pessoal (DP) e o pessoal da lubrificação para lubrificar e lavar as máquinas que serão retiradas da obra para as matrizes instaladas em São Paulo e Rio de Janeiro.  Estão sendo retirados das obras duas escavadeiras, 15 caminhões, uma patrol e um compressor de perfurar já de imediato.

Segundo informações, a Odebrecht, uma das maiores construtoras do Brasil está vindo para ‘concretar’ o lote 7 do canal e concluir as barragens de Morros e do Bartolomeu.

Enquanto isso as obras do desemboque e emboque dos túneis ‘Cuncas 1’ e ‘Cuncas 2’, construídas por outro grupo empresarial, continuam em execução e fichando mais gente.
 

Notícias relacionadas:

Paraíba
Paraíba
Cotidiano