PM sem pistas de assassinos de popular em Aguiar

Por:

O aguiaense José Alves Neto, conhecido como Zé Buchudo, de 43 anos, foi morto a tiros por volta das 8h da manhã dessa sexta-feira, 5, quando saia de um banco postal no centro de Aguiar.

Dois homens em uma moto aproximaram-se da vítima e um deles efetuou vários disparos contra Zé Buchudo, que morreu na hora. Os acusados, que estavam de capacete, fugiram após o crime e, até o momento, não foram identificados. "Eles fugiram pela estrada que dá acesso a Coremas sem serem identificados", comenta o delegado de Piancó, José Pereira.

Ao tomar conhecimento do homicídio, o delegado dirigiu-se imediatamente a Aguiar para dar início à investigação e tudo evidencia, confore ele, que foi um crime encomendado. A vítima residia no sítio Riacho Verde e já sabia que estava correndo perigo, tanto que planejava viajar para São Paulo.

Conforme dr. Pereira, Zé Buchudo tinha inimizades e respondia a vários processos na Justiça, um deles por tentativa de homicídio contra o jovem Wellington Soares Brasileiro, de 18 anos. Crime ocorrido há três meses no sítio Riacho Verde, município aguiaense.

A Justiça chegou a decretar a prisão temporária do acusado, mas ele não foi preso e conseguiu a revogação do mandado. Há 15 dias ele apresentou-se à polícia onde prestou depoimento e negou que tivesse participado da tentativa de homicídio contra o rapaz. Manifestou seu desejo de sair de Aguiar, mas a morte veio antes da viagem.

Fonte: Folha do vale

Notícias relacionadas:

Cidades
Cultura
Cidades