Efraim responde denúncia de contratação de funcionárias fantasmas e responsabiliza ato a auxiliar

Por:

Em resposta as acusações de contratação de funcionárias fantasmas, realizada pelo gabinete do senador Efraim Morais (DEM) e divulgadas ontem no Jornal da Globo, a assessoria do senador enviou nota à imprensa, na tarde desta quarta-feira, 19, justificando que a responsabilidade pelas contratações compete ao gabinete da Drª Mônica da Conceição Bicalho, emérita especialista em Direito de Estado, cujas contratações foram para auxílio em seu núcleo de trabalho.
A nota informa que o senador já solicitou a exoneração tanto da bacharel Mônica, quanto das funcionárias Kelly do Nascimento da Silva e Kelriane do Nascimento da Silva.

Segundo a nota, “todos os servidores contratados no Senado tomam posse com assinatura própria em diversos formulários e realizam exames médicos personalíssimos de aptidão. Não é crível que alguém possa ser funcionário sem saber da nomeação”, justifica.
Leia a nota abaixo, na íntegra.

Nota de Esclarecimento

Com relação à notícia veiculada pela imprensa, dando conta de possível contratação irregular de servidores por parte deste gabinete parlamentar, temos a esclarecer o seguinte:

1. Todos os servidores contratados no Senado Federal tomam posse com assinatura própria em diversos formulários e realizam exames médicos personalíssimos de aptidão. Não é crível imaginar que alguém possa ser funcionário sem saber da nomeação.
2. No caso em questão, a contratação destas pessoas foi solicitada ao gabinete pela Drª Monica da Conceição Bicalho, emérita especialista em Direito de Estado, para auxilio em seu núcleo de trabalho. É evidente que cabe a chefia imediata a responsabilidade sobre a regular execução de serviços prestados.
3. Diante destes fatos, o senador Efraim Morais já solicitou a exoneração das três pessoas envolvidas na questão: Kelly Nascimento Da Silva e Kelriany Nascimento Da Silva, bem como da bacharel Mônica da Conceição Bicalho.
4. O senador Efraim Morais espera que a Polícia Judiciária, ou qualquer investigação externa, concluam o inquérito necessário para apontar possíveis responsabilidades. Determina que este gabinete ofereça toda colaboração possível, inclusive documentos para exames periciais grafotécnicos.

19 de maio de 2010

Marcos Vinicius Caldas Souto
Chefia de Gabinete

Da Redação do Radar Sertanejo

Notícias relacionadas:

Cidades
Paraíba
Política