A violência e a falta de conscientização na escola

A violência em algumas escolas públicas estaduais e municipais especificamente na Paraíba vem preocupando a…"

-->

PitaA violência em algumas escolas públicas estaduais e municipais especificamente na Paraíba vem preocupando a todos, principalmente a população paraibana que trabalha na educação. Isso não me deixa nem um pouco alegre, ao contrário, na condição de professor sempre lutei pela paz e uma escola pública melhor para todos, pelo menos no sentido de conscientizar o aluno em torno da dignidade humana, sempre que possível na sala de aula procuro conscientizá-los e mostrar o verdadeiro objetivo a ser exercido pelo aluno e o seu verdadeiro papel na futura sociedade.

Vejo com muita tristeza, a divulgação de fatos violentos nas escolas, esse resultado me deixa bastante preocupado e apreensivo e apesar de acreditar que tudo pode mudar, mas desconfio que o futuro nas escolas tende a ser muito mais trágico do que no momento atual, se as autoridades competentes não tomarem uma posição concreta e objetiva nas ações violentas nas escolas e a partir de agora, tudo leva a se agravar. O mais interessante são os políticos no período de campanha eleitoral, eles tem soluções para tudo e planos sensacionais, mas esquecem quando passa a governar. Projetos são sempre apresentados durante as campanhas, mas a maioria deles tem o firme propósito de enganar o povo, os eleitos dificilmente realizam uma boa parte do que prometeu.

De qualquer forma, não sou do time do “quanto pior, melhor”; ao contrário, quero ver uma educação de qualidade, a partir de uma grande esperança e reverter rápido e definitivamente, esse quadro terrível em que se encontram na mira de alunos, funcionários, professores e gestores da rede educacional.

Observando dados de pesquisas ainda do ano de 2007 e sabendo que o quadro já mudou muito nos dias atuais, podemos ver resultados cada vez mais assustadores. Na pesquisa sobre violência a bens materiais, de predações ao prédio da escola, pichação, danos a veículos de professores e funcionários, arrombamentos de portões e furtos de bens escolares, como: TV, aparelho de DVD, computadores e etc. apresentavam desde algum tempo índice assustador, imagino que hoje esse resultado está bastante alto. Desacato a professores, funcionários e a direção em algumas escolas também é muito alto. Quero saber onde vamos parar, por que as leis não ajudam a manter a disciplina na sala de aula nem no recinto da escola.

Outro ponto a ser discutir na Paraíba, a direção das escolas faz as reivindicações às gerencias regiões de ensino, que por sua vez, leva o problema da escola para ser resolvido. Esta gerencia os encaminham para a Secretaria de Educação do Estado. Em alguns casos a política partidária rola no centro e estes problemas muitas vezes vão sendo deixados de lado, prejudicando com isso o bom funcionamento de uma Escola.

Vamos enumerar logo a seguir alguns pontos que faltam em diversos setores ligados às escolas e a sua formação.

As deficiências da escola com relação à família.

1. Desagregação familiar: separação, mortes, consome de drogas, falta ou inversão de valores morais e éticos, desprestígio da educação, carência afetiva dos filhos com os pais e a escola.

2. Pais omissos: ausentes aos problemas escolares, coniventes com os erros dos filhos, não incentivando aos estudos, não impondo limites aos filhos, jogando para a escola a responsabilidade da família.

3. Carências múltiplas: desemprego, miséria, exclusão social, falta de tempo para os filhos.

4. Falta de religiosidade

5. Falta de apoio psicológico e assistência social que deveria ser dada gratuitamente ao conjunto: todos da escola e aos pais pelos governos

As deficiências da escola com relação aos alunos:
1. Falta de perspectivas, descrença nas instituições, desinteresse pela escola, falta de identificação com os professores e com a escola.

2. Dificuldades de aprendizagem, fracasso escolar.

3. Influência negativa da mídia e banalização da violência

4. Consumo de drogas•

5. Ociosidade das crianças e dos adolescentes associada à falta de projetos multidisciplinares, extracurriculares (prática de esportes, prática musical, exercício da solidariedade, trabalhos comunitários, etc…).

6. As deficiências da escola com relação aos professores e à própria escola:

1. Falta de professores, desestímulo, descompromisso, baixos salários, jornada excessiva de trabalho, formação deficiente, falta de habilitação, metodologia inadequada, rotatividade excessiva, falta de treinamento e capacitação. Quando tem capacitação e formação é na maioria das vezes mal direcionada e com metodologia inadequada.

2. Falta de espaços físicos adequados para as atividades do cotidiano e aulas práticas em laboratório.

As deficiências da escola com relação ao sistema:

1. Problemas com o sistema escolar: mudanças bruscas sem o prévio preparo, currículo defasado, inadequado e restritivo, módulo incompleto, descaracterização da progressão continuada em promoção automática, centralização excessiva das decisões (nos órgãos superiores).

2. Conselho Tutelar pouco atuante ou muitas vezes agindo contra os interesses da escola.

Conclusão: é muito alto o índice de violência nas escolas nos dias atuais, o que demanda e nos convida a uma urgente providência, envolvimento de políticas públicas de enfrentamento da questão levada com seriedade e leis que faça ser comprida por parte de todas as normas da escola. São necessárias ações efetivas, que envolvam, obrigatoriamente, a escola, as famílias e os órgãos públicos a cumprirem os seus papeis.

Francisco Inácio de Lima Pita

Francisco Inácio de Lima Pita

Pita é Radialista e Professor Licenciado em Ciências e Biologia pela UFPB e UFCG respectivamente. Atualmente é professor da rede estadual de ensino. Participa todos os sábados de programa informativo na Rádio Terra Nova FM, 88,7 MHz.
pita.sjp@ig.com.br