Coronel Cunha Rolim lamenta disparo feito por policial no Parque do Povo

Por:

Coronel lamentou disparo feito por policial no Parque do Povo

Em entrevista a Correio FM, o comandante do 10° Batalhão de Polícia Militar, coronel Cunha Rolim, lamentou o ocorrido no último domingo, 08, no camarote do Parque do Povo, em que um policial militar disparou a arma após se envolver em uma confusão.

Cunha Rolim destacou que a Polícia está tratando o assunto como um fato isolado, já que muitos policiais à paisana exercerem a sua função em proteção à população e no impedimento de crimes.

Ele destacou que a postura do policial expôs a corporação e colocou em xeque a postura dos demais policiais, frisando que todas as medidas punitivas estão sendo tomadas.

– Estamos tratando esse fato como isolado, que nos deixou bastante consternados. É natural que a arma do policial sirva de autodefesa, mas muito mais para a defesa das outras pessoas. São muitos os casos em que policiais à paisana evitaram assaltos e outros crimes. Eu, juntamente com os meus companheiros, estamos lamentando esse acontecimento. O policial foi detido, conduzido à delegacia, autuado em flagrante pelo disparo, foi também autuado por uma posse irregular, pois a arma não era dele, estava sendo transferida ainda. E na esfera administrativa, vamos instaurar uma sindicância rigorosa para apurar todas as circunstâncias desse fato, que expõe a corporação, os homens e mulheres de bem que lidam e cuidam da segurança pública em Campina Grande. Um fato como esse acaba manchando e colocando em xeque o nosso trabalho – explanou.

O comandante ainda explicou que todo policial é respaldado por lei a portar sua arma estando à paisana, frisando que espera que esse fato nunca mais se repita, e que a recomendação para todos os policiais militares, civis e federais é que quando cheguem em eventos registrem junto ao posto de comando a sua estada, com os dados da arma e o local em que trabalham.

Redação com PB Agora

Notícias relacionadas:

Cidades
Paraíba
Cidades